capa do post

Dicas de roteiro em Reykjavík: o que fazer na capital da Islândia

Viagem | 1 | 02/01/2023

A capital Reykjavík é a maior cidade da Islândia e onde se concentra a maior parte do movimento de moradores e turistas, já que é a porte de entrada no país (através do aeroporto de Keflavík).

A cidade fica na região da Península de Reykjanes, no sudoeste da ilha, a uns 40 minutos de carro do principal aeroporto do país, Keflavík.

A cidade é a cara da Islândia: pouquíssimos prédios ou estruturas muito altas, muitas casinhas e construções típicas da ilha (de madeira, colorida e com detalhes em branco) e tem bastante coisa para se fazer - ainda mais se você tem uma graninha para gastar por lá!

Neste post vou compartilhar as principais atrações na capital da Islândia para você pensar no que fazer quando viajar para Reykjavík!

Como se locomover em Reykjavík

A capital da Islândia é super tranquila e segura, além de ser ótima para se conhecer andando (apesar do frio).

Na principal região da cidade e onde fica a maior parte das atrações turísticas, com certeza é melhor caminhar! Você não vai precisar de carro para conhecer essa área!

Nossa sugestão é que você estacione o carro próximo à essa região e faça tudo caminhando.

Lembrando que, para estacionar nas ruas da capital islandesa, muitas vezes é necessário pagar (como acontece em alguma cidades do Brasil com a Zona Azul). Para saber quais ruas são pagas ou não, utilize o app Parka. Ah, você pode fazer o pagamento pelo app também!

Fora isso, a cidade possui um sistema de transporte público com ônibus que podem te ajudar a sair do seu hotel e chegar nas principais ruas e pontos turísticos. Para saber mais sobre os ônibus da cidade, consulte o mapa e o app de transporte público da cidade Strætó. 

Igreja Luterana Hallgrímskirkja

Uma das principais atrações da cidade é a igreja Hallgrímskirkja, que tem um formato bem peculiar e é realmente bem bonita!

Além da vista do lado externo, você pode entrar na igreja e ainda subir até a torre da igreja (essa visita é paga), o que dá uma bela vista panorâmica da cidade.

A visita à torre custa 1.200 ISK (coroas islandesas), algo em torno de 8 euros por adulto, e você comprar a entrada na hora, mesmo. Para saber mais da igreja e da visita, confira no site deles aqui.

Dicas de roteiro em Reykjavík: o que fazer na capital da Islândia - 4
Dicas de roteiro em Reykjavík: o que fazer na capital da Islândia - 5

Nathara na igreja Hallgrímskirkja (esq.) e no melhor hot dog do mundo (dir.) | Fotos: Pelo Mundo a Dois

Blue Lagoon

A Blue Lagoon é talvez um dos mais famoso pontos turísticos no país e que normalmente dizem ser em Reykjavík, apesar da atração estar localizada a uns 40, 45 minutos da cidade (50 km de distância).

A Blue Lagoon é um grande spa a céu aberto, com águas de cor branco-azulada e que ficam com sua temperatura média nos 38ºC (alguns trechos a água é um pouco mais fria e em outros, mais quente) por causa da atividade geotermal. Como a água ali é do mar, ela acaba se renovando a cada ciclo de algumas horas.

A água possui muita sílica (e enxofre, se não me engano) e é um bom tratamento para a pele, além de ser um lugar bonito e ótimo para relaxar. Além disso, ao comprar seu ingresso você pode escolher incluir alguns tratamento faciais com argilas especiais.

O lugar teve origem em piscinas termais formadas por causa das operações da usina geotérmica Svartsengi, que fica ao lado. Com o passar do tempo, o lugar se tornou o spa que conhecemos hoje, com uma estrutura incrível e super completa, com restaurante, bares, hotel e cafeteria.

Os banheiros do lugar possuem toalha, vestiário com chuveiros e armários para guardar suas coisas. Dependendo do tipo de ingresso que você comprar, mais serviços e amenidades você tem direito.

Para saber mais, consulte o site deles aqui.

Blue Lagoon | Foto: Harshil Gudka - Unsplash

Rua do Arco-Íris: Skólavördustígur e Laugavegur

Esse primeiro nome, quase impronunciável, é uma rua relativamente tranquila, com algum comércio e que se conecta à principal rua de Reykjavík, Laugavegur. O atrativo dela é justamente a pintura de arco-íris, que atrai os turistas para fotos.

Já a Laugavegur é uma rua comprida e fechada para os pedestres, cheia de lojas, cafés, restaurantes a bares! É um lugar bem bonito e gostoso para caminhar e explorar um pouco mais da cena cultural e gastronômica da cidade.

Além de poder comer e beber por lá, aproveite para procurar souvenires e lembrancinhas de viagem por ali, já que no resto do país é mais difícil encontrar esse tipo de comércio.

A oferta de lugares para comer e beber aqui é bem grande, então, deixo nossas recomendações aqui, caso queira alguma sugestão:

  • Restaurante / Pub: Islenski Baerin;
  • Bar: Kaldi Bar (dono é uma brasileiro);
  • Café: Cafe Loki, praticamente de frente para a igreja Hallgrímskirkja.

Dicas de roteiro em Reykjavík: o que fazer na capital da Islândia - 11
Dicas de roteiro em Reykjavík: o que fazer na capital da Islândia - 12

Uma das esquinas da rua Laugavegur (esq.) e a rua Skólavördustígur com o arco-íris (dir.) | Fotos: Pelo Mundo a Dois

Harpa Concert Hall

A casa de concertos e eventos Harpa possui uma estrutura bem peculiar e chamativa, toda de vidro. Do lado de dentro você encontra um restaurante e por lá também ocorrem exposições e apresentações.

Fica bem na orla do mar e a uma curta caminhada de outro ponto turístico, o Sun Voyager. Vir caminhando da rua Laugavegur é tranquilo e vale pelo menos para a foto do lado de fora, já que é super diferente e bem bonito.

Dicas de roteiro em Reykjavík: o que fazer na capital da Islândia - 15

Prédio da Harpa | Foto: Pelo Mundo a Dois

Sun Voyager

A estrutura que lembra um barco Viking é, ao que dizem, uma homenagem ao sol e à esperança. É bom marco importante na cidade, mas na real, não é nada de mais. Se tiver tempo, vale a pena dar uma passada.

Dicas de roteiro em Reykjavík: o que fazer na capital da Islândia - 18

Sun Voyager | Foto: Pelo Mundo a Dois

Melhor Hot Dog do Mundo: Baejarins Beztu Pylsur

A pequena barraquinha de cachorro-quente Baejarins Beztu Pylsur, que funciona desde 1937, poderia passar despercebida, caso não fosse famosa entre viajantes do mundo todo, o que aconteceu principalmente após a visita do ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton!

Apesar de pequena, a barraca está sempre com fila e chega a vender até 1.000 lanches em um dia! O lanche é simples (nada parecido com os cachorros-quentes vendidos no Brasil, que são cheios de ingredientes), mas é muito bom!

Aquele simples que funciona! Vale super a pena experimentar! O hot dog custa 600 ISK (uns 4 euros).

Fica na mesma região das principais atrações (pertinho da Harpa, por exemplo) e você pode chegar ali caminhando!



Existem outras atrações na cidade, como o Museu Nacional da Islândia, o Perlan, o prédio do Parlamento islandês e o Lago Tjörnin, mas essas são as atrações que consideramos imperdíveis.

Espero que este post te ajuda a programar sua viagem para a capital da Islândia!

Se você quiser saber algo mais ou tiver alguma dúvida, é só deixar nos comentários!



Texto: Vinícius Marchetti

Comentários

Escreva um comentário antes de enviar

Houve um erro ao enviar comentário, tente novamente

Por favor, digite seu nome
Por favor, digite seu e-mail