capa do post

Viajar transforma: a viagem que mudou a minha vida

Blog | 3 | 1 | 02/02/2021

Viajar transforma: a viagem que mudou a minha vida - 1

Algo que sempre ouvi quando era mais novo é que “viajar transforma”. Confesso que nunca havia entendido isso muito bem.

Mas claro, na primeira vez que escutei essa frase, eu ainda não tinha nem entrado em um avião. Até 2005, vivi em uma pequena cidade de interior.

Minhas maiores experiências de viagem eram, até então, as que havia feito de carro com a família para as praias do litoral de São Paulo ou do sul do país.

E essas viagens sempre me deixavam com uma sensação agridoce quando eu voltava para a vida real. Não queria que nada daquilo acabasse e ficava sempre pensando quando eu viajaria de novo. Aguardava ansioso as férias em família.

Lembro até hoje dos filmes que assistia entre a infância e adolescência, e que me faziam querer conhecer vários lugares do mundo, mesmo sem saber direito onde eram esses lugares ou se um dia eu faria isso.

Afinal, eu não conhecia ninguém que viajava assim. Vez ou outra ouvia relatos de algum amigo que, por sua vez, tinha um conhecido que já havia ido para a Disney. E só.

Então, talvez pela pouca idade, ou apenas por ser algo tão distante do meu mundo, essa frase nunca fez tanto sentido pra mim.

Os anos se passaram e pouca coisa na minha vida mudou em relação às viagens. Conversei sobre o assunto com amigos, compartilhei sonhos e organizei planos para viajar, para fazer um mochilão, para começar a conhecer o mundo. Mas os planos nunca saíram do papel. Nem sabia ao certo por onde começar.

Até que uma das minhas irmãs foi morar fora - era 2010, ela entrou em um programa de Au Pair (uma espécie de babá) e foi viver nos Estados Unidos por um ano. 

Viajar transforma: a viagem que mudou a minha vida - 4

Montanha de Sete Cores, no Peru, em 2018

Dois anos depois, minha irmã estava de volta ao Brasil e tivemos a ideia de viajar juntos. Iríamos para os Estados Unidos visitar a host family dela (família que a hospedou e para quem ela trabalhou na época em que viveu lá) e desbravar a cidade de Nova York. Minha primeira viagem internacional! Minha primeira vez em um avião!


Eu estava muito pilhado e era só emoção!



Fazer uma viagem dessas, com uma pessoa que viveu por um ano na cidade, foi uma experiência incrível! Pude conhecer uma Nova York diferente do que a maior parte dos turistas conhece. Onde nos hospedamos, onde comemos, onde e como andamos, tudo foi muito marcante e me deixou extasiado!

Quando voltei para o Brasil, só conseguia pensar na viagem e em quando poderia fazer tudo de novo!

Viajar finalmente tinha deixado de ser um sonho! Eu tinha saído do âmbito das ideias e ido para a vida real!

A partir daí, eu comecei a direcionar meus esforços e investir parte da minha renda em viagens. Todos os anos, eu tentava usar minhas férias para viajar e conhecer um país novo.

E a cada viagem que eu fazia, me tornava uma pessoa diferente. Sempre que eu tinha a oportunidade de vivenciar uma nova cultura, mesmo que de uma forma bem superficial, sentia algo crescendo dentro de mim. Eram tantas emoções e sentimentos que mexiam comigo, que eu não me continha de alegria!

Agora, pula para o ano de 2021, ainda com uma pandemia em andamento.


Já se passaram quase 9 anos dessa primeira viagem. Foram muitas coisas diferentes vivenciadas. Religiões e costumes. Comidas e bebidas. Pessoas e lugares.

Uma coisa que posso dizer, por experiência própria, é que tudo que é diferente ou que a gente desconhece, causa estranheza. Mas nem por isso é errado ou ruim (importante frisar isso).

Ao viajar, nós temos a chance de realmente vivenciar novos costumes, onde as regras do “socialmente aceitável” podem ser diferentes e acabam rompendo barreiras que você achava que nunca seriam rompidas no mundo.

Com toda a certeza, ver as coisas por si mesmo é libertador! Te permite questionar e procurar entender muito mais do que seu próprio mundo. E você tem a chance de fazer isso por conta própria, se quiser. Livre de preconceitos e prejulgamentos, se estiver disposto.

Muita coisa, como a forma de falar, de compreender, de se relacionar, resolver problemas, de ter empatia, de ter paciência e abrir a mente, tudo isso acaba mudando. Você acaba mudando.

E, nesse momento, você pode perceber que, sim, viajar transforma!

Texto e fotos por Vinícius Marchetti

Viajar transforma: a viagem que mudou a minha vida - 9

Comentários

Escreva um comentário antes de enviar

Houve um erro ao enviar comentário, tente novamente

Por favor, digite seu nome
Por favor, digite seu e-mail
Vanessa

Vanessa

Muito bom, Vi! Amei a reflexão e é bem isso mesmo. Viajar nos faz crescer. Você vai viajar muito ainda, 🤗

Responder

Escreva um comentário antes de enviar

Houve um erro ao enviar comentário, tente novamente

Por favor, digite seu nome
Por favor, digite seu e-mail