capa do post

Saiba como viajar em tempos de COVID

Viagem | 15/10/2020

Saiba como viajar em tempos de COVID - 1

Neste momento em que, aos poucos, tudo vai voltando às atividades “normais” (entre aspas mesmo porque, querendo ou não, ainda parece estarmos longe do antigo normal), as pessoas voltaram a planejar uma viagem, mesmo que para se isolar em algum lugar, pra fugir de casa um pouco.

Para quem ficou em isolamento por meses, então, com certeza deve estar difícil, morrendo de vontade de sair e espairecer em outro lugar.

 

Já que muitos destinos e lugares estão reabrindo, como fazer para ir para viajar sem se arriscar, sem se contaminar ou colocar outras pessoas em risco?

 

O fato é que, até o contágio diminuir muito e as vacinas estarem disponíveis, teremos que usar máscaras e adotar essas novas regras básicas de convivência dos últimos meses como padrão: evitar ao máximo aglomeração, mantendo distanciamento mínimo e regras mais rígidas de higiene, com muito álcool em gel.

 

Nada disso soa muito legal, é verdade, mas mesmo que a gente queira ignorar, a realidade é que isso deve se arrastar pelo menos por mais alguns meses.

 

Então, como fazer para viajar ou dar apenas uma escapada da rotina?

Trouxemos aqui dicas legais que temos lido em vários lugares e que podem nos ajudar na tão aguardada viagem:

1. Nade contra a maré

Assim como onde você mora, evitar ir onde tem muito movimento ou onde todos estão indo é uma boa ideia.

Alguns destinos são sempre muito cheios, mais famosos e concorridos. Então, se puder, escolha outro lugar para visitar. A ideia é essa mesmo, nadar contra a maré!

Caso acredite que o lugar esteja tranquilo e, ao chegar, se deparar com muito movimento, é melhor não frequentar lugares que normalmente recebem muitos turistas, como bares e restaurantes mais famosos.

Aproveite para tentar visitar lugares mais low profile, que não estão na moda. Além de economizar, você vai acabar fugindo da muvuca.

2. Fique perto de casa

Ficar perto de onde você mora pode ajudar principalmente em dois pontos.

Primeiro, que ao ficar perto de onde você mora, é provável que você consiga ir de carro (próprio ou alugado), evitando contato com muita gente, como aconteceria ao ter que ir à rodoviária pegar um ônibus, ou no aeroporto para pegar seu voo.

Segundo, que você também vai economizar. Ficando na sua cidade ou em cidades próximas, você pode fazer a viagem de carro, o que normalmente sai mais em conta do que os custos com uma viagem de avião.

Se optar por alugar alguma casa nessa viagem, você pode ainda fazer suas compras no mercado de preferência e, assim, tudo que você consumir durante sua estadia foi comprado de acordo com seu orçamento, o que pode te ajudar a poupar uma grana (um hotel e refeições em restaurantes durante uma viagem normalmente saem mais caras que isso).

Vale também reforçar que, se ficar doente longe de casa com certeza é péssimo, imagina contrair Covid-19 durante suas férias? Vai ser dor de cabeça, correria para acionar seguro viagem (se você não tem o costume de contratar um, está mais que na hora de repensar isso!) e

ainda obedecer regras de isolamento e monitoramento médico do país em que estiver!

3. Seja o fiscal da higiene

Fique por dentro se onde você vai se hospedar está cumprindo com as regras básicas de higienização. Acesso facilitado à álcool em gel nos ambientes dos estabelecimentos, limpeza frequente nos lugares de maior movimentação, distanciamento mínimo entre as pessoas, uso de máscara obrigatório (para os turistas e para os colaboradores do lugar), tudo isso deve estar sendo feito.

Se conseguir saber como seu hotel/pousada/hostel está atuando neste sentido, você pode tomar a melhor decisão sobre onde ficar.

No caso de lugares mais públicos, como feiras, bares, restaurantes e baladas, caso em seu destino estes lugares estejam funcionando, recomendamos que você evite frequenta-los. Isso vale também para as áreas comuns do seu hotel.

O balcão da recepção nos horários de check-in e check-out e os “horários de pico” no restaurante do hotel são outras situações que você deveria evitar.

Lembre-se que, quanto maior o fluxo de pessoas, maior a chance de que haja contaminação de algum tipo.

4. Sonhe com o teletransporte

Se existisse o teletransporte, essa seria a época ideal!

Como ainda não dominamos a tecnologia, o que você pode fazer é escolher o meio de transporte para sua viagem de forma consciente.

Viajar de ônibus e avião oferecem mais riscos: você vai encontrar muitas pessoas, de vários lugares e com modos distintos de se proteger durante a pandemia, durante o trajeto, seja na rodoviária ou no aeroporto.

Mesmo com o distanciamento entre assentos e nas filas de embarque, o risco continua sendo elevado. Não dá pra simplesmente acreditar que todas as pessoas respeitarão as regras e, mesmo assim, as regras são paliativos.

Ou seja, elas podem ajudar a reduzir, mas não eliminam as chances de contágio.

Ao viajar de carro (de preferência, o seu próprio), você evita contato com muita gente, vai direto ao seu destino sem filas e garante maior segurança pra você e paras os demais.

Se puder, evite os aeroportos e rodoviárias. Se não puder, se proteja e siga as regras.

5. Faça suas (novas) malas

Não se esqueça de ter seu álcool e gel e/ou lenços umedecidos para levar na sua bagagem!

Eles são os novos itens que deverão estar nas suas malas e devem ser usados sempre que tiver contato com maçanetas, mesas, balcões e tudo mais que encontrar pelo caminho.

Os lenços umedecidos, em conjunto com o álcool em gel, podem auxiliar na higienização das mãos em momentos em que você não puder usar o banheiro ou, em lugares mais cheios, em que é melhor você nem usar o banheiro, por ser um ponto de alto movimento e facilitar a transmissão do vírus.

E, por último, fique atento!

Saiba como viajar em tempos de COVID - 14

Este momento não parece ser o mais propício para que você planeje sua viagem dos sonhos, seu destino mais desejado.

Por que? Bom, além de arriscado e, provavelmente mais caro, pode acabar sendo frustrante.

Apesar do momento sensível para o turismo, os preços não estão amigáveis para quase nada - sejam os voos, hotéis ou passeios.

Já imaginou planejar a viagem que você tanto sonhou, investir um bom dinheiro nisso e, quando menos esperar, a pandemia impedir que ela aconteça? Você pode acabar perdendo grana com remarcação de voo, reembolsos de hotéis e passeios e outros imprevistos.

Não é o ideal, concorda? Ainda é arriscado.

Pode ser mais caro também pois, muitos lugares estão sofrendo com a queda de movimento turístico e, para compensar a diminuição na receita, algumas empresas têm optado por manter os preços lá em cima! Já encontramos até voos muito mais caros que o normal, tudo pode causa da pandemia!

Além destes dois pontos, pode acontecer de você conseguir viajar e, ao chegar no seu destino, encontrar várias atrações e ponto turísticos fechados, ou com visitação limitada.

Já pensou você, na sua viagem dos sonhos, voltando sem conhecer tudo o que gostaria? Dando de cara com as portas fechadas nos lugares?

Ninguém quer que isso aconteça! Por isso, fique atento e, se puder, postergue sua viagem dos sonhos para depois! 

Texto: Vinícius Marchetti | Fotos: Pelo Mundo a Dois

Saiba como viajar em tempos de COVID - 17

Comentários

Escreva um comentário antes de enviar

Houve um erro ao enviar comentário, tente novamente

Por favor, digite seu nome
Por favor, digite seu e-mail