capa do post

O Viajante Faminto e Onde Comer em Roma

Blog | 1 | 22/09/2023

Roma é um museu a céu aberto.

A impressão que se tem é que toda rua tem alguma espécie de ruína, uma construção antiga, um ponto turístico da época dos gladiadores ou onde algum artista de renome um dia viveu.

A cidade respira história e exala resiliência - afinal, sobreviveu à guerras, invasões, líderes, déspotas e governos diversos, e isso tudo formou o que hoje vemos como uma das cidades mais icônicas da história.

O que mais me impressiona na cidade não são nem os lugares onde mais tem turistas (apesar de continuar achando o Coliseu uma imagem impressionante), mas o que aquele ambiente transmite e, claro, a comida do lugar!

Primeiro porque, andar pelas pequenas ruas e vielas de Roma, onde os prédios se aproximam e o chão ainda é de pedra (ou uma espécie de paralelepípedo), isso tudo me remete à filmes e artigos de revistas, que embora recentes, ao mesmo tempo me fazem pensar em como tudo aquilo é antigo, de dezenas ou centenas de anos atrás, e ainda está tudo ali, para vermos e sentirmos.

Segundo porque a comida é de matar! E no bom sentido, claro, já que é difícil se imaginar na Itália e em Roma sem se deixar entregar às tentações das massas, gelato, spritzes variados e à comida simples, que une massa, molho (muito molho) de tomate, queijo e manjericão.


Tem muito mais que isso? Claro. Mas ouso dizer que esse simples seria suficiente para marcar as nossas vidas!

Assim como outros lugares do mundo, pisar em Roma te leva à imaginar outros tempos da história da humanidade e, se você se permitir, te faz refletir um pouco em como a vida tem coisas boas, como o mundo é imenso e nós somos apenas uma minúscula parte dele e, mais importante que tudo (na minha humilde opinião, claro), te coloca na posição do que gosto de chamar de "observador tolerante"

Esse observador é a pessoa que vê tudo e entende que suas opiniões e convicções não passam disso: "suas opiniões”. O mundo é muito maior e mais complexo e esse observador sabe que cabe a nós abrirmos nossas mentes e corações para enxergar e entender isso.

É o caminho da tolerância e empatia. E como isso demanda saber observar e compreender, daí o tal “observador tolerante”.

É o faminto viajante (no sentido cultural e gastronômico), aquele que vê, ouve, sente e compreende que se não fossem as pessoas e as diferenças, nada disso seria tão incrível.

A gente não teria tanta comida, tantos cheiros, tantos lugares e experiências diferentes para viver e explorar se não fosse essa diversidade, e só o observador tolerante é capaz de ver e viver isso de forma plena.

Quando for à Roma, ou melhor, sempre que viajar, explore o que puder, prove o que puder e observe atentamente… Pode ser que você aprenda algo que pode mudar a sua vida, mesmo que seja enquanto come sua pasta carbonara em frente ao ponto turístico mais famoso.

O Viajante Faminto e Onde Comer em Roma - 2

Nathara com Coliseu ao fundo | Foto: Pelo Mundo a Dois

Onde comer em Roma


Não quero deixar aqui uma lista de restaurantes e lugares para comer. Na real, nem acredito muito nessas listas - é muito raro a Nathara e eu irmos atrás de restaurantes famosos ou viajarmos com uma lista de lugares indicados para comer.

A gente gosta mesmo é de explorar e arriscar; se algum lugar interessante aparecer, a gente simplesmente senta no lugar para comer. E é isso!

Às vezes o resultado é bom, outras vezes nem tanto. E em algumas raras (mas satisfatórias) ocasiões, é uma experiência bizarra de incrível! E foi o que aconteceu com a gente no Ristorante Cleto!

Nem sei a avaliação no Yelp, The Fork ou TripAdvisor. Encontramos o lugar enquanto caminhávamos pelas ruas estreitas na região do Coliseu e as mesas do lado externo (e os vários Aperol Spritz nas mesas) nos chamaram a atenção.

O lugar era bom e a comida estava surreal, divina. A melhor pasta que comi na vida foi ali e nem tenho receio de recomendar.

O Cleto fica na Via del Buon Consiglio, 17, e você encontra facilmente andando por ali. Pode pedir sem medo o Gnocchi verdi al gorgonzola e noci, um nhoque de massa verde com molho de gorgonzola super saboroso, mas não forte demais, finalizado com nozes. Um espetáculo!

Prove uma massa, coma o pão de entrada (todo restaurante na Itália parece que leva um excelente pão para petiscar antes das refeições ou simplesmente usá-lo para raspar o molho que sobrar no prato da sua refeição principal) e tome um drink.

Relaxe, aproveite a comida e curta toda a vibe de Roma e da Itália.

A história te agradece!

Comentários

Escreva um comentário antes de enviar

Houve um erro ao enviar comentário, tente novamente

Por favor, digite seu nome
Por favor, digite seu e-mail
Jaqueline

Jaqueline

Responder

Escreva um comentário antes de enviar

Houve um erro ao enviar comentário, tente novamente

Por favor, digite seu nome
Por favor, digite seu e-mail